COLETÂNEA DE TROVAS E QUADRINHAS

As trovas ou quadrinhas são composições poéticas de cunho popular na nossa tradição.
Uma quadrinha tem quatro versos e elas são bastante usadas nos desafios,jogos de adivinhação e provérbios.
A seguir,eis algumas trovas ou quadrinhas bem conhecidas:

             
                   Eu amo a quem não me quer
                   E desprezo a quem me ama
                  Fujo de quem me procura
                  Quero bem a quem me engana.


                Parece mentira, parece,
                Mas é verdade patente
               Que a gente nunca esquece
               De quem se esquece da gente.


              Quem ama,dorme na rua,
              Na porta de seu amor
              Das estrelas faz a cama
              Do sereno o cobertor.


             O ciúme é linda flor
             Ainda bem mal estimada
            Onde o ciúme não entra
            O amor não vale nada.


           Para provar que de fato
           Meu peito chama por ti
          Pensando no teu retrato
          Esta quadrinha escrevi.


          No jardim da minha vida
          As flores hão de murchar
         Quando de você querida
         A morte se aproximar.


        Tem o sol calor ardente
       Tem a lua brilho sem par
       Tens o primeiro nos lábios
       E o segundo em teu olhar.


       Amar e não ter ciúme
      Isso não é querer bem
     Quem não zela o bem que ama
     Muito pouco amor lhe tem.


     Todo o verso que eu sabia
     Veio o vento e carregou
     Só amor e querer bem
     Na memória me ficou.


     Eu gosto da rosa branca
     Pelo cheiro que ela tem
     Quem tem amor,tem ciúme
     Quem tem ciúme,quer bem.


    Meu coração tem ciúme
   Ciúme de ti,meu bem
   Pois quem ama sem ciúme
  É ´porque amor não tem.


   É tão pouco o que desejo
   Mas é tudo oque me falta
  Só porque a flor do teu beijo
   Pende de rama tão alta.
    

  
  
  







Anúncios

Sobre vileite

Sou uma pessoa amiga e confiável !Sou contra todas as formas de opressão e comunismo . Acredito na justiça divina que não falha nunca!
Esse post foi publicado em POESIAS. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s